TV GC

Palmitense Centenário celebra a união com a família e revela o segredo para vitalidade

Nossa reportagem foi recebida pelo carismático centenário, Guerino Rigoni, que mesmo após um século de vida, ainda esbanja disposição, bom humor e simpatia

Palmitos - 08/10/2019 11:31
Carregando Vídeo

O ano é 1919, existem apenas 57 países em todo o mundo e menos de 2 bilhões de habitantes. As cidades catarinenses estavam iniciando sua expansão. Em 26 de setembro do mesmo ano nasce Guerino Rigoni, que na última semana completou 100 anos de idade.



Na reportagem desta edição, vamos falar de vida. Sim, porque chegar aos 100 anos é um grande motivo para se comemorar, e estar nesta fase com energia e disposição é melhor ainda.

Nossa reportagem foi recebida pelo carismático centenário, que mesmo após um século de vida ainda esbanja disposição, bom humor e simpatia. 

Ele é pai de 5 filhos, pouco letrado e exemplo de dignidade, ética e dedicação à família. A sua maneira de ser contagia a quem relaciona com seu Rigoni que revela para a gente ‘a receita para a longevidade’.

Migrante do município de Anta Gorda, Rio Grande do Sul, seu Rigoni chegou ao município de Palmitos com muitos sonhos na mala. Hospedou-se na casa de um dos irmãos, mas longo conquistou seu espaço e construiu sua própria família. Hoje reside com seu filho Luiz Rigoni, que aceitou a incumbência de cuidar do pai, permanece na casa paterna, desempenhando atividades agrícolas, com sua família.

Luiz conta que seu quando jovem foi muito trabalhador, a família sempre residiu em Santa Lúcia, Distrito de Palmitos desempenhando atividades na lavoura como cultivo de milho e feijão. “Ele sempre nos ensinou a sermos honestos e trabalhar o suficiente para viver bem”, enfatiza.

E quando questionado pela reportagem do Expresso d’Oeste, qual a receita para a longevidade, declara que o segredo para viver bem e chegar aos 100 anos com vitalidade é cuidar da vida, durante sua passagem e não apenas no final dela. “Mantendo uma rotina de trabalho saudável, e é claro como todo italiano, beber um bom vinho também ajuda”, afirma.

Em algumas de suas memórias ainda vivas, seu Guerino conta dos tempos em que serviu ao exercito brasileiro e dos tempos em que reunia a família para festeja. Ele serviu ao exercito Nacional em Santana do Livramento, cidade fronteira com a República do Uruguai.

Pessoa religiosa, devotada ao trabalho desde tenra idade e dedicação familiar, em especial a esposa Eluminata, quando de sua longa doença (4 anos), dela nunca se afastou, tanto em Porto Alegre onde tratou da doença, como em casa, até seu óbito em 1.979, soando como Dom divino que permitiu alcançar 100 anos de vida e construir uma família com definição de caráter e das suas profissões.



“Ele não é uma pessoa letrada, mas sempre mostrou muita sabedoria na educação, formação de valores, cultivo da ética, dedicação ao trabalho e à família que persiste até hoje”, comenta com orgulho o filho. Segundo Luiz o pai ainda reza todos os dias e, em voz alta, para todos os membros da família e da comunidade em que vive, inclusive, em dialeto italiano, a língua materna que ainda carrega traços da imigração italiana dos pais e avós.

Além da dedicação para a família, seu Guerino também gostava muito da vida em comunidade. Enquanto possuía forças físicas sempre esteve presente, ajudando o desenvolvimento de sua comunidade, Santa Lúcia onde reside, como um exemplo de vida em sociedade.


Fonte: Redação jornal Expresso d'Oeste

Mais notícias