TV GC

Médica traz dicas para prevenir a diabetes

As Unidades Básica de Saúde auxiliam no tratamento e prevenção da doença

Geral - 19/11/2019 09:37 (atualizado em 19/11/2019 09:38)
Carregando Vídeo

Nesta quinta-feira, dia 14, celebramos o Dia Mundial da Diabetes, uma doença que afeta cerca de 14 milhões de habitantes.

De acordo com a médica da Unidade Básica de Saúde de Palmitos, Bruna Schena, a diabetes é uma doença multifatorial relacionada ao estilo de vida de cada pessoa, como sedentarismo, comer muito carboidrato, açucares, bebidas alcoólicas e uso de cigarros. 

SOBRE A DOENÇA

A diabetes é uma doença metabólica: seu portador não consegue degradar moléculas de glicose corretamente ou em velocidade suficiente. A glicose é um tipo de açúcar básico que ingerimos na alimentação, e é essencial para a vida. A alta taxa de glicose circulante no sangue, entretanto, pode provocar danos em órgãos como os rins, além de poder levar à amputação de membros inferiores e causar cegueira. Pacientes com hiperglicemia são mais suscetíveis a ataques cardíacos ou derrames.

A diabetes se divide em duas categorias, os tipos 1 e 2. A primeira é uma forma de diabetes relacionada ao sistema autoimune, em geral identificada na infância ou adolescência. As células responsáveis pela defesa do organismo acabam atacando outras, capazes de sintetizar insulina, por causa de um defeito no sistema imunológico. Os pacientes diagnosticados com essa variação são chamados de insulino-dependentes, pois precisam fazer uma reposição da insulina, além de se tratarem com outros medicamentos, adotarem alimentação balanceada e realizarem atividade física. Na diabetes do tipo 2, a administração de insulina é necessária apenas em alguns casos. A maior incidência de diabetes se concentra nesse grupo, que é quando o organismo não produz insulina suficiente para controlar a taxa de açúcar no sangue, ou não é capaz de usar adequadamente a que produz.

Bruna informa, que a Unidade de Saúde tem um sistema de rastreio, exames laboratoriais, acompanhamento com nutricionista, e todo suporte para o tratamento. “Como sempre digo, desembalar menos e descascar mais, indico também exercícios físicos com frequência, preferir alimentos naturais e evitar comidas prontas, se cuidem pessoal!”, afirma.

Fonte: Redação jornal Expresso d'Oeste

Mais notícias